oze.editora@uol.com.br | 2373.9006
Rua Conselheiro Carrão, 420 | Bixiga | CEP 01328-000 | São Paulo - SP

CNPJ 13.360.966/0001-81

Textos: Anna Flora | Projeto: Nina Meirelles

CANDU MARQUES e LU MENDES

Candu Marques e Lu Mendes são psicólogas especializadas na área de educação, sócias da consultoria Lumec Educação e Cultura. Desenvolvem projetos educacionais junto a comunidades, creches, escolas e sistemas de ensino. A cultura e a literatura têm sido recursos utilizados em suas atividades desenvolvidas, sejam elas relativas a projetos pedagógicos ou capacitação de grupos de educadores.

Formadoras do Projeto "Educar para Reciclar" para Educadores de 35 escolas do ensino fundamental do município de Itapevi, São Paulo.

Autoras dos livros: CAZA, Uma Matriz de muitos Zezinhos, sobre a ONG Casa do Zezinho junto com Dagmar Garroux
e Levi Mendes Jr , publicado pela Editora OZé em 2013 e A Cultura Popular gerando ideias na Educação Infantil- Itinerário Pedagógico, publicado pela Editora OZé em 2012.

São responsáveis  pelo projeto pedagógico e aplicação do Itinerário Pedagógico  na Educação Infantil das escolas municipais da cidade de São Bento de Sapucaí no estado
de São Paulo. Acompanham e supervisionam esse trabalho desde 2009.

Participam e coordenam a  implantação e acompanhamento de projetos referentes a cultura popular em escolas particulares, como o Centro de Educação Infantil Espaço Aberto (desde 2001) e instituições voltadas para crianças e jovens em situação de risco, como a  Casa do Zezinho (desde 1990) e o Projeto Quixote ( desde 2006), na cidade de São Paulo.

Responsáveis pela implantação do Projeto de Literatura e Cultura Popular Pé de Jabuticaba em cinco municípios de três estados brasileiros: Sorocaba, Pindamonhangaba e Mogi das Cruzes, em São Paulo; Rio Verde, em Goiás; Barreiras, na Bahia, sempre com a parceria das secretarias municipais de educação.

Fizeram parte, entre 1999 e 2004, juntamente com o escritor e ilustrador Ricardo Azevedo e o editor Zeco Montes, da equipe responsável pela formatação e execução do Projeto Fura Bolo, para a Fundação Cargill, um programa de formação de leitores e cultura popular, que alcançou quinze cidades de cinco estados brasileiros, acompanhando cinquenta mil alunos do primeiro ciclo do ensino fundamental, capacitando dois mil professores por ano.

Autoras de roteiros de leitura e pareceres para livros de literatura infantil nas editoras, Studio Nobel, Melhoramentos, Ática, Global, FTD e SENAC.

Foram sócias proprietárias da Escola Pirâmide, renomeada Escola Miguilim e  Guimarães Rosa (educação infantil e ensino fundamental), sediada em São Paulo, no período de 1975 a 1990.